The Dude abides...

Nunca me canso de ver este filme. Está sentado à direita do Dr. Strangelove no panteão das grandes comédias do cinema juntamente com outras obras primas que não contam para este rosário. É genial meus amigos, acreditem. Se ainda não viram, vão ver.
The Big Lebowski, obra de 1998 dos irmãos Joel e Ethan Coen apresenta uma das maiores personas que alguma vez vislumbrei num numa longa metragem.
Jeff Lebowski ou "The Dude" para os amigos (no caso dele, é The Dude para toda a gente) é o homem no centro de uma simples troca de identidades que se vem a mostrar muito mais imprevisível do que parecia à partida.
Ora o "Dude" é um tipo com uns ideais de vida bastante low-standart, mas que parecem apelar a muita gente, nos quais obviamente me incluo.
Assim, todo este post deve a sua existência a uma nova religião que prolifera muito lentamente na Internet e entre os seguidores do "Dude" - "o Dudeísm".
Diz assim o texto de apresentação ao Dudeísmo: "Come join the slowest-growing religion in the world - Dudeism. An ancient philosophy that preaches non-preachiness, practices as little as possible, and above all, uh...lost my train of thought there. Anyway, if you'd like to find peace on earth and goodwill, man, we'll help you get started. Right after a little nap."
Quer-me parecer que o Dudeísmo é coisa para não ser muito exigente com os seus fiéis.
Dando umas voltas pelo site oficial do Dudeísmo facilmente percebemos o quão acessível é esta religião, onde qualquer um pode ser sacerdote e espalhar a palavra da preguiça, da inércia e da paz em todo o mundo, e pode ainda aprender como fazer White Russians, a bebida oficial do Dudeísmo.
Existem ainda exemplos de alguns dos maiores "Dudes" da história da humanidade, onde estão algumas surpresas. Confesso que à primeira vista o Snoopy não figuraria na minha lista dos maiores "Dudes" de sempre, mas após breve reflexão, concedo que faz todo o sentido.
Temos ainda acesso ao "The Tao of Dude" e ao "Duderonomy", onde são explorados a fundo os dogmas deste belo modo de vida.
Não sei quanto a vocês, mas por mim, o Dudeísmo ganhou mais um adepto, nem que seja pelo simples facto de ter nascido com a propensão para a inércia.

The Dude: "Um, I am not "Mr. Lebowski". I'm the Dude. So that's what you call me. You know, that or, uh, His Dudeness, or uh, Duder, or El Duderino if you're not into the whole brevity thing."

0 Responses to “The Dude abides...”

Enviar um comentário


Links to this post

Criar uma hiperligação

Zurraria

  • Para além de ocuparmos espaço na net, desperdiçamos também papel no Jornal de Monchique...

    Zurras Mail

  • zurraria@gmail.com