Pro Revolution

Sabida que é a aversão daqueles que perfilham a ideologia comunista pelas novas tecnologias e particularmente pelos dispendiosos entretenimentos da máquina capitalista, a Konami, conceituada editora de videojogos como “Pro Evolution Soccer” ou “Metal Gear Solid”, resolveu apostar num novo jogo para tentar cativar os seguidores de Marx.
O produto final está praticamente acabado e dá pelo nome de “Pro Revolution” e o seu objectivo é explícito no slogan que promove o jogo: Insurge yourself, em português “Faz tu próprio a Revolução”. Há que fazer a revolução, em diversos cenários possíveis, verídicos ou criados pelo utilizador. Da mesma forma, tanto pode incutir no jogador a responsabilidade de ser “El Comandante” na Revolução Cubana, como o pode fazer na Revolução Russa de 1917, liderando os Bolcheviques pelas latrinas do palácio do Czar. Para aquele pessoal que gosta da festa rija, pode ainda criar um cenário completamente novo, definindo todas as condicionantes geo-politico-estratégicas do país em que se pretende fazer a revolução e do tipo de revolução que tomará lugar, desde uma pequena insurreição no Estádio da Luz até à anarquia total por uns lombinhos de porco no Talho do Macário na Avenida de Roma. A cereja no topo do bolo, poderá ser, para os idealistas marxistas-leninistas, a edificação virtual da revolução e de um regime comunista nos Estados Unidos da América, país capitalista por virtude ou defeito, conforme o gosto.
A Revolução pode ser, assim, virtualmente idealizada lado a lado com ícones comunistas como Ernesto “Che” Guevara (o Mourinho das revoluções), Lenine, Mao Tse Tung, Odete Santos, entre outros menos mediáticos mas igualmente aptos camaradas para o ataque aos governos vigentes comandados por esses porcos capitalistas.
Existem ainda uma panóplia considerável de mini-campanhas como a liderança de uma rebelião em Guantanamo com a opção de se explodir, levando consigo setenta americanos por cada virgem que tiver à sua espera no paraíso. Pode também tentar a criação de uma lista concorrente à de Pinto da Costa de forma a destituir o imortal dirigente portista ou a fuga do estabelecimento prisional de Vale de Judeus, estando esta última inserida num nível inicial do jogo, tal a facilidade com que os condenados conseguem fugir deste estabelecimento prisional de excelência.
No segredo dos deuses está ainda, a possibilidade de fazer refém personalidades como George W. Bush, Tony Blair ou Marques Mendes, este último numa missão especial situada no Portugal dos Pequeninos.
Espera-se que a Konami chegue a essa fatia de mercado que são os resistentes comunistas, de modo a que estes perspectivem a sua ideologia de forma mais abrangente, moderna, actual. Realista? Ai isso já não, que já não é o comunismo? Pronto.

0 Responses to “Pro Revolution”

Enviar um comentário


Links to this post

Criar uma hiperligação

Zurraria

  • Para além de ocuparmos espaço na net, desperdiçamos também papel no Jornal de Monchique...

    Zurras Mail

  • zurraria@gmail.com